terça-feira, 30 de setembro de 2008

Pagando bem, que mal tem?

Pagando bem, que mal tem?
Por Tancredo Junior

Navegando na Internet, a gente acaba lendo cada coisa louca e engraçada, muitas sem nexo, outras até esdrúxulas, pra falar a verdade.
No “Ponto de Vista” – um blog locado no WordPress, li sobre uma garota que lançou uma proposta inusitada – pelo menos pra mim – que é justamente vender a sua virgindade em um leilão na web. A idealizadora da idéia é uma jovem norte-americana de 22 anos, Natalie Dylan, moradora de San Diego, Califórnia.
Em entrevista ao tablóide inglês “Daily Telegraph”, Natalie diz que fará esse leilão simplesmente com o objetivo de arranjar uma grana para custear seus estudos na faculdade.
E se a moda pega?

Imaginem que coisa maluca. Colocar à venda a sua suposta primeira relação sexual. E não importa com quem, desde que dê o melhor lance. É aquele velho ditado: “pagando bem, que mal tem?”.
Esse episódio me fez lembrar um polêmico filme, “Proposta Indecente”, com a Demi Moore, Robert Redford e Woody Harrelson. A história gira em torno de uma bela mulher (Moore) que recebe uma proposta milionária para manter relações extraconjugais com um bilionário (Redford). E o marido dela (Harrelson) fica em uma sinuca de bico – o casal está quebrado, falido, precisa da grana – mas vive um dilema terrível, que é a péssima idéia de imaginar sua esposa com outro homem, mesmo que isso lhe traga a soloução para os problemas financeiros.
O filme é ficção, imaginação de fatos que supostamente poderiam ou não acontecer na vida real. Já o leilão virtual que a Natalie está fazendo é realidade, mesmo.

Sempre ouvia dos meus pais e avós na minha infância e adolescência que o mundo estava mergulhado em um caos moral. Mas na minha época não se ouvia falar esse tipo de maluquice.
Há uma neurose comportamental reinante no mundo de hoje. A liberalidade sexual perverteu de vez a moral e os bons costumes.
A banalização da vida, em todos os aspectos, está cada dia ficando mais generalizada. Em todas as áreas. Não é só na questão da promiscuidade sexual, amplamente divulgada e vendida pela mídia televisiva, que exibe em pleno horário nobre, em canais de TV aberta, cenas de nudez e sexo quase que explícito. As novelas que o digam.

Os liberais irão dizer que não há nenhum problema em uma garota vender seu corpo em um leilão. As prostitutas fazem a mesma coisa – oferecem sexo para qualquer pagante, só que a um valor fixo. Esse é o problema, acharmos tudo naturalmente correto, aceitável e tolerável no mundo globalizante de hoje.
A questão, de fato, é saber até que ponto a sociedade civilizada poderá aceitar e conviver com essas práticas modernas e achá-las normais.
Quando me perguntam se eu e minha esposa pretendemos ter mais um filho, a resposta é taxativa: Não. Sabe por quê? Porque está ficando insustentável educar uma criança atualmente. Com tanta diversidade de pensamentos, práticas, condutas, valores e crenças difundidas aos quatro ventos, já não sabemos se realmente vale a pena ver nossos filhos crescendo em um mundo tão maluco, promíscuo e confuso.


Resta-nos, enquanto seres humanos dotados de consciência e poder de reflexão, ainda uma chance de colocarmos o raciocínio em funcionamento e analisarmos, profundamente, se queremos continuar caminhando para um futuro coerente, ético e moralmente aceitável, ou se preferimos fechar os olhos e achar que está tudo bem, que cada um faz da sua vida o que quiser.
Se não refletirmos e repensarmos as nossas práticas e condutas morais, corremos sério risco de amanhã lermos na Internet a notícia de que alguém vende, não apenas seu corpo, sob o pretexto de ganhar grana para pagar a faculdade, mas que também oferece, por um bom preço, uma noite de sexo com sua filha adolescente e virgem, por exemplo, ou quem sabe com seu cônjuge. E os motivos não hão de faltar, serão muitos: pagar a hipoteca da casa própria, fazer uma lipoescultura na barriga, ou fazer aquela tão sonhada viagem à Disney.
É esperar pra ver. Estamos caminhando a passos largos, rumo a um mundo sombrio e medieval. E então, podem dar seus lances. Quem der mais leva!

******



2 comentários:

Uma Vida a Serviço do Rei disse...

Ilustre amigo Tancredo,

Parabens pela publicação desta matéria que tambem considero inusitada.
Até aonde vai os conceitos da moralidade nestes tempo de modernidade e pós-modernidade. Você disse muito bem: ''Há uma neurose comportamental reinante no mundo de hoje. A liberalidade sexual perverteu de vez a moral e os bons costumes.
A banalização da vida, em todos os aspectos, está cada dia ficando mais generalizada. Em todas as áreas. Não é só na questão da promiscuidade sexual, amplamente divulgada e vendida pela mídia televisiva, que exibe em pleno horário nobre, em canais de TV aberta, cenas de nudez e sexo quase que explícito. As novelas que o digam.''

Já se foi a moral e os bons costumes, passou..........vemos hoje a libertinagem e a licenciosidade da carne.

Os da cidade de Somorra e Gomorra se surpreenderiam com esta geração em que estamos vivendo.

Cumprimentos.

Pr Eliel A Soares
prelielsoares.blogspot.com

Tancredo Junior disse...

Caro amigo e reverendo Eliel,

É sempre uma honra ler seus comentários sempre pertinentes.
Com certeza, como o senhor ressalta, os dias em que vivemos deixariam envergonhados o povo de Sodoma e Gomorra.

Obrigado pela visita!

Grande abraço.

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Sou um sujeito simples, nada excepcional - igual a você, ser humano, pensante. Gosto de viver a vida da melhor maneira possível e sem olhar para trás. Obrigado por visitar meu blog. Opine. Comente. Faça críticas. Exponha suas ideias.